Publicado no MMWR –  Morbidity and Mortality Weekly Report [Julho/2012]

Infecção por bactérias que ameaçam a vida do paciente pode ocorrer quando profissionais de saúde não aderem às medidas de precaução padrão e, além disso, utilizam frascos rotulados como de dose única ou de uso único, para mais de um paciente. Essa publicação sumariza dois surtos por Staphylococcus aureus ocorridos em Ambulatório e Clínica de Tratamento de Dor, onde a transmissão de infecção foi atribuída a frascos de dose única ou de uso único, utilizados em mais de um paciente. 

Case Report 1: Em 08 de abril de 2012 o Departamento de Saúde do Arizona foi notificado de três pacientes infectados por Staphylococcus aureus meticilina resistente [MRSA], sendo um deles com mediastinite. A investigação do Departamento de Saúde da região revelou que os três pacientes tinham recebido injeção para dor na mesma Clínica e no mesmo dia, além de outros vinte e cinco pacientes. Dez indivíduos, incluindo os três infectados por MRSA, receberam injeção de contraste para realizarem imagem radiológica para guiar a colocação da agulha a ser usada para analgesia. Cada manhã o staff clínico preparava o contraste na sala de procedimentos, antes da chegada do paciente. Para esse procedimento utilizava duas seringas onde aspirava 5 ml em cada uma, do frasco do contraste que continha 10 ml e completava as mesmas com 10 ml de solução salina. O conteúdo de cada seringa era então transferido para outro frasco alternativo resultando em dois frascos de contraste diluído com 10 ml de volume cada; sendo um frasco para uso no turno da manhã e outro frasco para o uso no turno da tarde. Entre os pacientes que receberam o contraste no dia do surto, seis foram no turno da manhã e quatro foram do frasco da tarde. Todos os pacientes infectados por MRSA tinham recebido contraste diluído no turno da tarde, ou seja, do frasco reservado para uso a tarde. Os três pacientes com MRSA foram a um hospital local de 4 a 8 dias após o procedimento na Clínica de Tratamento de Dor. Os mesmos apresentaram infecções graves como: mediastinite, meningite bacteriana, abcesso epidural e sepsis. A hospitalização variou de 9 a 41 dias. Amostras de seis frascos de contraste do lote em uso durante o surto foram enviados para o CDC para análise, porém nenhuma contaminação intrínseca foi identificada utilizando o método padrão de cultura bacteriana. Os frascos fechados de solução salina do lote em uso no momento do surto não foram analisados, devido não estarem disponíveis. Solução salina era rotineiramente utilizada como parte de outros procedimentos na Clínica os quais não estavam associados à infecção por MRSA. Em adição ao fato de frascos de uso único ser utilizados para mais de um paciente, o Departamento de Saúde da região detectou ainda que os profissionais de saúde da Clínica não aderiam às práticas de precaução padrão como, por exemplo: o uso de máscara durante a injeção espinhal. Em resposta a esse surto, o Departamento de Saúde do Arizona estabeleceu recomendações sobre precaução padrão e prática de injeção segura através de Guideline específico.

Case Report 2: Trata de um surto por Staphylococcus aureus [meticilina sensível] em Clínica Ortopédica no estado americano de Delaware, ocorrido em sete pacientes que receberam no mesmo período injeção de anestésico bupivacaína; o qual tem apresentação em frasco de dose única, porém sendo usado para múltiplos pacientes por dia. Os setes pacientes apresentaram infecções graves como artrite séptica e bursite…

Vale a pena conferir também toda condução desse surto [2]!!

……………………………………………………………………………………………………………………………….

 Você pode acessar o documento em: MMWR Jul2012

                                                                                                       Kátia Costa

Be Sociable, Share!

Tags:

Veja Também:
Fatal error: Call to undefined function related_posts() in /home/httpd/vhosts/abih.net.br/httpdocs/wp-content/themes/gm/single.php on line 52